Juazeiro-BA: Tiano Felix (PT) participa de atividade experimental de reúso da água para irrigação de forragens em Pinhões

Tiano Felix (PT) participou de atividade experimental de reaproveitamento da água residencial (cinza) para irrigação de forragens em Juazeiro. Fotos: Ascom/Juazeiro-BA

Lene Radina/ASCOM ADEAP

O Secretário de Desenvolvimento Econômico, Agricultura e Pecuária de Juazeiro, Tiano Felix (PT), acompanhado do técnico em pecuária da ADEAP, João Luiz, estiveram na última sexta-feira (03), na comunidade de Lagoa do Boi, distrito de Pinhões, participando de atividade experimental de reaproveitamento da água residencial (cinza) para irrigação de forragens em Juazeiro. Uma iniciativa do Programa Bahia Produtiva, executado pelo governo do estado em parceria com a ADEAP e o IRPAA.

Durante a experiência que contou com a presença da Associação de Mulheres e Amigos Criadores Rurais de Lagoa do Boi, iniciou-se os testes de um sistema de reúso de água residencial para a irrigação de forrageiras que servirá de alimento para os caprinos e ovinos da localidade.

“Participamos da primeira experiência de reúso da água cinza para produção de forragem, uma opção de custo barato destinado às casas que utilizam em média 200 litros de água por dia. Se tudo der certo nessa primeira experiência, nós teremos a capacidade de implantar um quintal de palma em cada casa, com custo muito barato e acessível aos produtores”, explicou Tiano Felix.

Água cinza é aquela proveniente de banhos, máquinas de lavar roupa e lavatórios de banheiro, que não entraram em contato com águas negras. Não são incluídas na água cinza o efluente gerado na cozinha e dos vasos sanitários devido às suas características. Os benefícios do reuso de água são diversos: além de representar uma solução sustentável para preservar os recursos do meio ambiente, também traz economia na conta de água.

O secretário informou que foi desenvolvida uma tecnologia específica de filtragem para essa experiência. “São os tanques de limpeza que submetem a água cinza ao processo de depuração, decantação e de filtragem até que a mesma esteja apta para irrigação das forragens. Isso já é assegurado por algumas leis nacionais. O que não pode é utilizar a água cinza para produção de hortaliças, mas é liberada para a produção de fruteiras e forragens”, explicou frisando que serão realizados dois meses de testes do sistema na comunidade de Lagoa do Boi para garantir a segurança de reproduzi-lo em outras comunidades.

Com Edição de Juliano Carmo/IrecêPress

Partilhar: