Meire Joyce: Uma História de lutas, superação e carisma

Meire Joyce (Rede) é a primeira secretária da Câmara Municipal de Irecê e candidata a deputada federal. Foto: Divulgação

Por Juliano Ferreira

Meire Joyce, conhecida por todos como Meirinha tem uma brilhante trajetória na política. Ela recebeu a reportagem em sua casa para contar um pouco de sua história de vida e superação.

Começou a trabalhar cedo. Seu primeiro emprego foi em uma empresa familiar e no modelo informal. Através do incentivo de uma tia, passava um turno na escola e outro na Locadora Vita Vídeo, ajudando a tia no atendimento aos clientes. Trabalhou na LAC Confecções onde aprendeu as habilidades com a informática.

“Sofri muito bullyng social por ser pobre, deficiente e filha de lavadeira de roupas”, conta emocionada. “Mas foram os bullyngs sociais que me deram força para entrar no mercado de trabalho cedo para mostrar que por trás das limitações físicas e da precariedade social eu tive o prazer de assinar minha carteira de trabalho aos 16 anos”, ressalta. Este trabalho foi na Líder Utilidades do Grupo Jota Sidney e na Impactus Laser.

Meirinha conta que sua guinada profissional se deu na Ótica Pirâmide, onde passou oito anos. “Foi a Ótica Pirâmide que me deu a oportunidade de mostrar minha capacidade profissional”.

Figueiredo (PSB), presidente da Câmara e Meire Joyce (Rede) nos trabalhos legislativos na Mesa Diretora da Câmara. Foto: Divulgação

Em 2004, Meirinha passou para o vestibular de Filosofia na UFBA, mas sua família não tinha condições financeiras de sustentá-la na capital, então ela se formou em uma faculdade particular de Irecê, a UESSBA, em 2009. Neste período trabalhou na Master Magazine e com parte do salário pagava a faculdade.

Ao sair da Master Magazine, Meirinha se aventurou em diversas cidades da Bahia e parte de Pernambuco prestando consultorias e palestras em parceria com o Sebrae e a CDL entre 2010 e 2012. Ela conta que depois da Faculdade e com o diploma em mãos, sua missão era terminar a casa de sua mãe Maria Altamira.

Foi professora universitária das Faculdades Fael e Anhanguera ajudando a formar muitos estudantes, também lecionou no Cetep e é orientadora de TCC – Trabalho de Conclusão de Curso.

Meirinha conta que também sofreu bullyng político, mas que isso, desde nova no movimento estudantil reacendeu sua participação nos movimentos políticos. “Sentada na porta de minha casa, aos 16 anos, o vereador Daé (in memorian) me dizia que eu ainda iria ser vereadora de Irecê por conta das indagações com relação aos problemas do bairro em que reside”.

Participou da coordenação de campanha da vereadora Rosana Vedovato (PTC) e em 2011 recebeu o chamado para ser vereadora pelo PMDB, atual MDB, ficando na suplência com 627 votos.

Por conta de seu histórico na luta estudantil, participou da construção e fundação da APAE (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais) em 2000 e é diretora fundadora da mesma instituição. “Todos os anos eu tenho uma missão que é distribuir brinquedos para as crianças da Vila Liberdade e Iêda III”.

Em 2016, Meirinha participou da construção do Partido Rede na Região de Irecê, foi onde ela “começou a construir vínculos de ideologia política captando assinaturas e participando de formação política, culminando na campanha vitoriosa do mandato coletivo que é referência”, ressalta.

Meire Joyce foi eleita com 656 votos, é a primeira secretária da Câmara Municipal de Irecê e participa das Comissões de Educação, Saúde e Social, sendo a presidente da Comissão de Saúde. Nas eleições de 2018, Meire Joyce se lançou candidata a deputada federal pela Rede viajando por toda a Bahia para mostrar suas ideias e seus projetos para garantir uma representação feminina e da pessoa com deficiência em Brasília.

Partilhar: