Câmara Municipal de Irecê aprova Projeto de Lei do Executivo com empréstimo de R$ 7.775.555,00

Foto: Juliano Ferreira/IrecePress

Por Juliano Ferreira

Em Sessão Ordinária realizada na manhã desta quinta-feira (25), a Câmara Municipal de Vereadores de Irecê, em uma tumultuada sessão e entre vaias e aplausos, aprovou o Projeto de Lei nº6/2018 do Poder Executivo que permite realizar operação de crédito no valor de R$7.755.555,00.

O Projeto de Lei passou pelas Comissões de Justiça e Redação e Orçamento tendo parecer favorável em ambas. A vereadora Valdereis Lopes, membro da Comissão de Justiça e Redação e decana da Casa, deu seu parecer em separado e contrário ao Projeto de Lei, por entender que ele não especifica juros, quantidade de parcelas e fala em infraestrutura e saneamento sem especificar quais ruas, bairros e povoados serão atendidos.

A bancada de oposição formada pelos vereadores Valdereis Lopes (PSD), Toinho do Judô (PRB), Margarida Cardoso (Podemos), Consuelo Dourado (PSDB) e Irisvan do Angical (PSD) votaram contra o projeto. Léo da Unibel (PSDB) não compareceu pois estava cuidando da saúde do pai.

Votaram a favor do empréstimo Luciano Silva (PV), Tertuliano Leal (PTB), líder do Governo na Câmara, Murilo Franca e Fabiano Bia (PPS), Espedito Moreira (Podemos), Edilson Alecrim (PP), Meire Joyce (Rede), Paulo Joaquim (Podemos). Rogério Amorim (PSB), presidente da Mesa Diretora da Câmara, só vota em caso de quórum qualificado ou para desempatar.

Às vésperas das eleições presidenciais, a votação foi acompanhada com o parlamento lotado por membros da sociedade civil, apoiadores do Prefeito Elmo Vaz (PSB) e do ex-Prefeito Luizinho Sobral (Podemos), suplente de deputado estadual.

Estiveram presentes na votação o Secretário de Governo e Chefe de Gabinete Jazon Júnior, o Secretário de Meio Ambiente Chicão Borges, o Secretário de Agricultura Arestides Dourado Júnior, o Secretário de Indústria e Comércio Pedro Sodré e o Superintendente de Trânsito e Mobilidade, Ronaldo Miron.

O ex-prefeito Beto Lélis usou a tribuna livre para argumentar contra o empréstimo e disse que se preciso for vai entrar com ação popular no Ministério Público, pois, de acordo com ele, tem mais de 36 anos que o município não contrai um empréstimo e que, ainda de acordo com ele, com o faturamento do município, que chega a R$120 milhões por ano não justificaria tal empréstimo.

A operação de crédito junto ao Desenbahia tem por objetivo realizar obras de infraestrutura, saneamento e trafegabilidade no Município de Irecê.

Partilhar: