Novembro Negro movimenta quilombos e instituições escolares no interior da Bahia

Fotos: Divulgação

Por Uilson Viana*

O mês da consciência negra comemorado em todo o Brasil, este ano teve uma programação especial em diversos cantos e recantos do interior da Bahia. Com destaque para as comunidades quilombolas de Volta Grande de Barro Alto, Segredo de Souto Soares e algumas instituições escolares, a exemplo do IF Baiano e UNEB em Xique Xique.

No quilombo de Segredo a programação que deu inicio desde o dia 01 de Novembro,se estendeu até o dia 25 contando com atividades culturais, educativas, lúdicas, esportivas e de formação. Rodas de leitura, de conversa, danças, desfile da beleza negra, maratona foram algumas ações de destaque deste Novembro Negro.

O racismo na mídia foi tema da palestra proferida pelo jornalista Uilson Viana no dia 19/11 onde os participantes puderam de forma interativa discutir sobre como é produzido o racismo nos meios de comunicação e como o corpo negro é “enquadrado” num modelo de comunicação branco. Além disto, foram partilhadas experiências do racismo institucional vivenciado por participantes ali presentes. O evento é realizado pela Associação de Povos Remanescente de Quilombo de Segredo e conta com o apoio da Diretoria de Promoção da Igualdade Racial.

Já em Xique-Xique a I edição do Novembro Negro ocorrida entre os dias 21 a 24/11 no campus da Universidade do Estado da Bahia (UNEB) contou com a realização do Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros e Indígenas (NEABI) do IF Baiano Campus Xique-Xique. Dentre as atividades, destacam debates no formato de mesa-redonda, roda de conversa, mini-curso, exibição de filme e documentário. De acordo com a professora Shauane Freire professora do IF e coordenadora do NEABI, o evento serviu para provocar uma reflexão tanto dos alunos como na comunidade externa sobre  “a Questão do Negro no Brasil, de modo a avançar nas ações necessárias para diminuir as desigualdades raciais em suas diversas dimensões”, ponderou.

Ainda de acordo com a professora Shauane “a temática da mesa intitulada Território e Cultura: Resistência e Identidade Negra, deu tom a todo o evento e teve como participantes Uilson Viana- membro da Coordenação Nacional de Articulação das Comunidades Negras Rurais Quilombolas/CONAQ e doutorando em Estudos Étnicos e Africanos pela UFBA, Medson Janer, Babalorixá, professor da UNEB e coordenador do curso de engenharia agronômica da Faculdade Irecê, e  Hugo Gama representando o Movimento Black Power de Xique-Xique”.

A Lei 11.645 que trata da obrigatoriedade do ensino de história e cultura afro-brasileira e indígena, discussão sobre Filosofia Africana e Afro-Diaspórica e roda de conversa sobre Mulher e Juventude Negra compuseram ainda a vasta programação envolvendo grupos e ativistas locais a exemplo do coletivo feminista da cidade.

Em Volta Grande, a Associação dos Remanescentes de Quilombolas promoveu no dia 23/11 um momento de dialogo com seus associados, onde estes tiveram a oportunidade de conhecer de forma mais aprofundada sobre a história dos Quilombos no Brasil e o processo de resistência a fim de entender como os quilombolas persistem até hoje seguindo ideais de lutas e combate ao racismo e da visão distorcida sobre o lugar onde estes moram, criam seus filhos e refazem todos os dias a sua historia fincada na ancestralidade de matriz africana.

* Doutorando em Estudos Étnicos e Africanos; Jornalista (DRT – 0005198/BA); Mestre em Educação; Especialista em Educação Contextualizada e em Gênero e Raça; Administrador; Técnico Agrícola; Professor.

Partilhar: