Seabra: População se revolta com o presidente da Câmara Municipal e faz manifestação

Por Veja Política

Na última segunda-feira (26), o município de Seabra, 456 Km da capital baiana, teve um final de tarde com bastante movimentação política nas ruas. Lembrando o clima das campanhas eleitorais, mais de mil pessoas foram às ruas para pedir a renuncia do vereador Marcos Pires, atual presidente da Câmara Municipal.

Segundo informações, a população está revoltada com uma série de atitudes do presidente da casa legislativa de Seabra, que tem uma guerra declarada contra o atual prefeito Fábio Miranda. “O vereador Marcão parece que ficou louco. Ele está mexendo com a vida de muitas famílias. Uma pessoa dessa não tem Deus no coração não. Em dezembro ele anulou uma seção da Câmara que deixava o prefeito pagar os professores. Ninguém recebeu salário. Nem professor e nem servidor da educação. Logo no Natal?”, lamentou a dona de casa Maria Fernandes.

“Este movimento é para pedir o afastamento desse senhor que pensa que pode mandar na cidade e atrapalhar a vida das pessoas de bem. Ele está usando o povo e fazendo o que quer junto com os vereadores do grupo dele. Mas tudo tem limite. Ele já foi preso uma vez pela Polícia Federal. Devia ter tomado jeito”, disse um servidor que preferiu não se identificar.

Operação Carcará prendeu temporariamente o vereador

É de conhecimento público que o atual Presidente da Câmara Municipal de Seabra, figura como Réu em mais de 5 Ações por Improbidade Administrativas e Penais. Todas as Ações são decorrentes da Operação Carcará que foi deflagrada pela Polícia Federal em conjunto com a Controladoria Geral da União-CGU.

Na época a Operação Carcará investigou a prática de atos ilícitos e organização criminosa, na realização de licitações e Contratos Administrativos em 21 municípios do Estado da Bahia. Os réus foram acusados de manipular resultados de licitações que tinham recursos destinados à compra de merenda escolar, medicamentos, e até nas execuções de obras públicas.

O grupo, do qual o vereador Marcos Pires também faz parte, estão sendo investigados  por uso de notas frias, superfaturamento dos preços e não entrega das mercadorias ‘compradas’.

O Presidente da Câmara foi preso temporariamente pela Polícia Federal, com a finalidade de garantir a conclusão da investigação policial, de acordo com o processo nº 0059519-86.2010.4.01.0000.

Durante a manifestação de hoje, os organizadores do evento esperam recolher mais de mil assinaturas para um abaixo-assinado que tem por objetivo pedir a renúncia do vereador Marcos Pires, vulgo Marcão.

Leia o abaixo-assinado na integra:

Seabra/BA, 28 de janeiro de 2019.

Nós, abaixo-assinados, cidadãos do Município de Seabra/BA, através deste documento, pedimos a cassação do mandato do Vereador MARCOS PIRES FERREIRA VAZ, atualmente exercendo o múnus público de Presidente da Câmara Municipal de Seabra/BA, baseada nos seguintes atos:

Restou de conhecimento público que o atual Presidente da Câmara Municipal de Seabra/BA, figura como Réu em mais de 5 Ações entre as por Improbidade Administrativas e as Penais, TODAS derivadas da operação deflagrada pela Polícia Federal em com conjunto com a Controladoria Geral da União-CGU, intitulada de “OPERAÇÃO CARCARÁ”, que investigou a prática de ilícitos e organização criminosa, na realização de licitações e Contratos Administrativos em 21 (vinte e um) municípios baianos, que manipulavam os certames públicos destinados à aquisição de medicamentos, merenda escolar, execução de obras públicas, além de simular o cumprimento integral dos contratos, mediante o uso de notas “frias superfaturamento dos preços e não entrega de mercadorias”.

Dentre as condutadas imputadas ao Vereador MARCOS PIRES FERREIRA VAZ, estão:

  1. a) Autorização de cotação de preços das empresas participantes, apesar de indicar valor acima do ofertado pelo concorrente;
  2. b) Organizava a sistemática de pagamento de vantagem indevida a seu favor;
  3. c) Nas cidades onde atuava recebia “comissões” para facilitar a contratação de empresas do grupo criminoso, auferindo propinas mediante percentual sobre os valores auferidos pelo grupo fraudulento. Destaque que o próprio etiquetava os contratos com a inscrição: “acerto com o prefeito”.

Além da gravidade dos atos de Improbidade Administrativa praticados e também dos crimes contra a Administração Pública, verifica-se que o atual Presidente da Câmara foi PRESO TEMPORARIAMENTE, com a finalidade de garantir a conclusão da investigação policial, de acordo com o processo nº 0059519-86.2010.4.01.0000.

O fato é, como pode um acusado de crimes e prática de atos de improbidade administrativa, preso por essas razões, presidir a Câmara Municipal de Seabra/BA, e nela desempenhar funções que por si só não permitem a dispensabilidade dos princípios constitucionais? Como um cidadão que preside a Câmara de Vereadores buscar a probidade administrativa, se ele mesmo sucessivamente as violou, e recebeu vantagens indevidas para isso?

Em razão disso, solicitamos de V.S.ª o máximo empenho para solucionar esta situação.

Morre, aos 93 anos, Mãe Stella de Oxóssi

Da Redação | Foto: Joá Souza | Ag. A TARDE

Morreu na tarde desta quinta-feira, 27, Maria Stella de Azevedo Santos, de 93 anos, conhecida como Mãe Stella de Oxóssi, ialorixá do terreiro Ilê Axé Opó Afonjá, em São Gonçalo do Retiro, em Salvador. Ela estava internada desde o último dia 14, no Hospital Incar, em Santo Antônio de Jesus, no Recôncavo baiano, por causa de uma infecção.

Por meio de nota na redes sociais, a prefeitura de Nazaré das Farinhas, também no Recôncavo, informou na noite desta quinta que o corpo de Mãe Stella já se econtra no Salão Nobre da Câmara de Vereadores, onde está sendo velado. O sepultado está previsto para esta sexta, às 16h, no Cemitério Nosso Senhor dos Aflitos, daquela cidade.

Mãe Stella havia dado entrada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), porém, no dia seguinte, foi transferida para o quarto. Segundo o último boletim de saúde, a ialorixá possuía um quadro estável. A última vez que a sacerdotisa tinha sido internada foi em novembro de 2017, quando passou seis dias no Hospital da Bahia, em Salvador. À época, apresentava fortes dores de cabeça e hipertensão arterial.

No dia 18 deste mês, surgiram boatos que de que a ialorixá havia morrido. A mesma informação foi desmentida pelo presidente da Sociedade Cruz Santa do Afonjá e administrador do terreiro Ilê Axé Opó Afonjá, Ribamar Daniel.

“As diversas atividades que minha vida religiosa pede e, é claro, a minha avançada idade estão fazendo com que se torne difícil continuar escrevendo quinzenalmente para este conceituado jornal, que acolheu meus pensamentos e minha cultura religiosa com muito desprendimento. Não estou me despedindo do jornal A TARDE que, compreendendo minhas razões, deixou o espaço aberto para que eu escrevesse algum artigo quando assim pudesse e desejasse (…), continuarei escrevendo, mas no ritmo possível para meus 89 anos de idade”.

Maria Stella de Azevedo Santos

Memória

Nascida em 2 de maio de 1925, em Salvador, a ialorixá foi articulista do Jornal A TARDE em 2011 e escreveu quinzenalmente na página de Opinião até o fim de 2014, quando anunciou, em artigo, que deixaria de publicar de forma fixa, permanecendo no entanto como colaboradora eventual.

Sacerdotisa desde 1976 do Ilê Axé Opó Afonjá, um dos candomblés mais tradicionais do Brasil, de nação nagô-ketu, Mãe Stella também foi atuante no blog Mundo Afro, do Portal A TARDE. Graduada em Farmácia pela Escola Bahiana de Medicina, em 2009, ela recebeu o título de Doutora Honoris Causa da Universidade do Estado da Bahia (Uneb).

Em 2013, a Ialorixá foi eleita imortal da Academia de Letras da Bahia (ALB). Ele ocupou a cadeira 33 (Poltrona Castro Alves), que era do professor e historiador Ubiratan Castro, falecido em janeiro do mesmo ano. Foi a primeira vez que uma mãe de santo ocupou uma cadeira da entidade máxima da literatura baiana.

Nova vida

Mãe Stella,  que vivia com a companheira Graziela Dhomini, mudou-se de Salvador em março de 2017 para Nazaré das Farinhas após sofrer um AVC, quando perdeu quase toda a visão, e se locomovia com a ajuda de uma cadeira de rodas.

A piora em seu estado de saúde abriu uma guerra silenciosa em torno da sua sucessão. Atualmente, pelo menos cinco grupos movimentam-se para suceder Mãe Stella, que não preparou nenhum nome natural ao posto.

Ensaio: “Esqueçam os mortos porque eles não voltam mais” por Juliano Ferreira

Por Juliano Ferreira

O Cemitério de qualquer cidade ou povoado é um ótimo local para se analisar sociologicamente a classe social da família ao qual pertencia o defunto. Se o túmulo é de mármore ou granito observa-se logo que há uma condição financeira maior, água, velas e flores também são sinal de que os mortos descansam em paz.É também um lugar que revela surpresas, desde criança sempre gostei de desenhar cemitérios e agora como fotojornalista, trago esta série de imagens dos cemitérios de Fazenda Nova, povoado de Irecê, na Chapada Diamantina Setentrional e do cemitério da Vila de Campo Formoso e Barro Branco, de Presidente Dutra onde estão enterrados parte de meus ancestrais, ao meu bisavô Manoel Ferreira Mendes e minha tia Dalva (Ambos in memorian), dedico este ensaio.

Beber a água do cemitério e presentear os mortos com uma caneta é um signo de agradecimento por todo conhecimento legado por eles a mim.

Para finalizar, não tem como não me reportar ao documentário “Nós que aqui estamos, por vós esperamos”, do brasileiro Marcelo Massagão, uma breve história do século XX e que me impactou muito na disciplina de Mídia e Cultura em 2009 ministrada pela professora Macelle Khouri. O título do Ensaio é uma homenagem ao meu amigo Fábio Nunes, Pedagogo e Ouvidor do município de Irecê, natural de Juazeiro-BA e com quem aprendo tanto sempre com sua erudição impecável: “Esqueçam os mortos porque eles não voltam mais!”.

Com vocês, o Ensaio:

Acervo Pedro Firme do Carmo (In Memorian) resgata parte da Historiografia da Política da Bahia, de Presidente Dutra, de Irecê e seu Território em textos e imagens preliminares

Texto e imagens: Juliano Ferreira/IrecePress

Revelamos hoje (23) com exclusividade parte do Acervo Pedro Firme do Carmo, que traz documentos de parte da história da política de Presidente Dutra, de Irecê, de Itaguaçu da Bahia, de Xique-Xique, de Uibaí, da Vila de Campo Formoso e de Araçatuba, dentre outras localidades. Pedro Firme do Carmo (in Memorian) foi casado com minha avó, Edna Silva do Carmo que me deu uma aula de política e memória oral, no inventário dos documentos, a ela dedico estas primeiras imagens fotodigitalizadas.

Evoco, Araçatuba, povoado de Presidente Dutra, cidade do interior baiano, capital da Pinha e que vivi parte da infância. Era lá que meus avós maternos moravam. Pedro Firme do Carmo e Edna Silva do Carmo.

A imagem de meu avô sentado embaixo da árvore em seu tamborete é tão cristalina que consigo enxergá-lo e ouvi-lo reclamando por conta da TV alta em períodos de jogo da copa do mundo. E o seu jeito de reclamar era sui generis. Era com um pigarreado na garganta que ecoava do quarto, quando o mesmo estava deitado.

Certa oportunidade, fomos, eu e minhas primas, ajudá-lo a plantar mamona em sua roça, para que as sementes terminassem logo, jogávamos várias delas em cada cova. Ao nascer foi trágico. Vários pés de mamona uns por cima dos outros.

As recordações vão se passando em minha memória e elas vão se tornando indeléveis a medida que vou trazendo-as. Nada mais existe. Com sua morte, tudo fora vendido. Antes de partir e ainda lúcido, no hospital municipal de Irecê, me deu os últimos R$10,00. Já não havia jeito. Sua morte foi tão tranquila e serena, deitado, em sua casa, em Araçatuba.

Era um homem reto e íntegro, todas as tardes pegava seus óculos e seu livro de reflexões religiosas e ia rezar no fundo do quintal. Não havia ninguém que atravessasse a estrada de um lado e de outro, que não falasse com ele, vindo pessoalmente ou a distância.

Meu avô me ensinou, sem nunca ter lido Neruda, porque as árvores escondem o esplendor de suas raízes. Elas, as raízes não precisam ser vistas, mas toda a árvore sabe, que sem raízes, não é ninguém.

Minhas raízes estão vivas dentro de mim. E é por isso que dedico estas fotografias do espectro político de meu avô, minha avó e minha mãe, mesmo sendo petista, é uma homenagem que realizo a eles, por toda a formação que me proporcionaram. Susan Sontag nos ensinou o poder da fotografia, a fotografia como documento histórico, a fotografia com a capacidade de desvelar realidades não vistas.

Galeria de imagens

Permitida a reprodução, desde que citada a fonte:

Trabalhadoras e Trabalhadores Sem Terra realizarão o 31º Encontro Estadual na Bahia

Arte: Divulgação

O 31º Encontro Estadual dos Trabalhadores das áreas da Reforma Agrária pretende reunir cerca de mil e quinhentos camponeses de 10 regiões do estado da Bahia entre os dias 14 e 17 de dezembro, no Parque de Exposições Agropecuárias de Salvador – BA.

Com o tema “Marcinho vive em nossos corações e mentes”, os camponeses pretendem fortalecer a mística em torno da Luta pela Reforma Agrária e homenagear o jovem camponês Márcio Matos, assassinado em janeiro desse ano.
“Infelizmente sua vida foi ceifada, então nós decidimos viver por ele e continuar lutando pelos seus ideais”, afirmam os trabalhadores.

Nesse sentido, o encontro visa debater as perspectivas da Reforma Agrária Popular em 2019, a educação do campo e o desenvolvimento da agroecologia como matriz de tecnológica capaz de preservar a natureza e gerar desenvolvimento social.

O evento trará uma programação diversa, pretendendo discutir temas como a atual crises econômica nacional e internacional, os desafios da agricultura camponesa e o papel do trabalhador do campo na organização popular. Além disso, a programação prevê a realização de assembleias com as mulheres, os homens, a juventude e os sujeitos LGBT Sem Terra.

Na ocasião, os trabalhadores Sem Terra contarão com a presença de movimentos populares, organizações sindicais, partidos de esquerda, amigos e parceiros históricos que contribuem historicamente na luta contra as desigualdades sociais no país.

Ascom MST

Novembro Negro movimenta quilombos e instituições escolares no interior da Bahia

Fotos: Divulgação

Por Uilson Viana*

O mês da consciência negra comemorado em todo o Brasil, este ano teve uma programação especial em diversos cantos e recantos do interior da Bahia. Com destaque para as comunidades quilombolas de Volta Grande de Barro Alto, Segredo de Souto Soares e algumas instituições escolares, a exemplo do IF Baiano e UNEB em Xique Xique.

No quilombo de Segredo a programação que deu inicio desde o dia 01 de Novembro,se estendeu até o dia 25 contando com atividades culturais, educativas, lúdicas, esportivas e de formação. Rodas de leitura, de conversa, danças, desfile da beleza negra, maratona foram algumas ações de destaque deste Novembro Negro.

O racismo na mídia foi tema da palestra proferida pelo jornalista Uilson Viana no dia 19/11 onde os participantes puderam de forma interativa discutir sobre como é produzido o racismo nos meios de comunicação e como o corpo negro é “enquadrado” num modelo de comunicação branco. Além disto, foram partilhadas experiências do racismo institucional vivenciado por participantes ali presentes. O evento é realizado pela Associação de Povos Remanescente de Quilombo de Segredo e conta com o apoio da Diretoria de Promoção da Igualdade Racial.

Já em Xique-Xique a I edição do Novembro Negro ocorrida entre os dias 21 a 24/11 no campus da Universidade do Estado da Bahia (UNEB) contou com a realização do Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros e Indígenas (NEABI) do IF Baiano Campus Xique-Xique. Dentre as atividades, destacam debates no formato de mesa-redonda, roda de conversa, mini-curso, exibição de filme e documentário. De acordo com a professora Shauane Freire professora do IF e coordenadora do NEABI, o evento serviu para provocar uma reflexão tanto dos alunos como na comunidade externa sobre  “a Questão do Negro no Brasil, de modo a avançar nas ações necessárias para diminuir as desigualdades raciais em suas diversas dimensões”, ponderou.

Ainda de acordo com a professora Shauane “a temática da mesa intitulada Território e Cultura: Resistência e Identidade Negra, deu tom a todo o evento e teve como participantes Uilson Viana- membro da Coordenação Nacional de Articulação das Comunidades Negras Rurais Quilombolas/CONAQ e doutorando em Estudos Étnicos e Africanos pela UFBA, Medson Janer, Babalorixá, professor da UNEB e coordenador do curso de engenharia agronômica da Faculdade Irecê, e  Hugo Gama representando o Movimento Black Power de Xique-Xique”.

A Lei 11.645 que trata da obrigatoriedade do ensino de história e cultura afro-brasileira e indígena, discussão sobre Filosofia Africana e Afro-Diaspórica e roda de conversa sobre Mulher e Juventude Negra compuseram ainda a vasta programação envolvendo grupos e ativistas locais a exemplo do coletivo feminista da cidade.

Em Volta Grande, a Associação dos Remanescentes de Quilombolas promoveu no dia 23/11 um momento de dialogo com seus associados, onde estes tiveram a oportunidade de conhecer de forma mais aprofundada sobre a história dos Quilombos no Brasil e o processo de resistência a fim de entender como os quilombolas persistem até hoje seguindo ideais de lutas e combate ao racismo e da visão distorcida sobre o lugar onde estes moram, criam seus filhos e refazem todos os dias a sua historia fincada na ancestralidade de matriz africana.

* Doutorando em Estudos Étnicos e Africanos; Jornalista (DRT – 0005198/BA); Mestre em Educação; Especialista em Educação Contextualizada e em Gênero e Raça; Administrador; Técnico Agrícola; Professor.

Prefeito Elmo Vaz assina seis novos contratos de obras para Irecê com a Caixa Econômica Federal

Foto: Divulgação Ascom PMI.

Por Ascom PMI

O prefeito Elmo Vaz assinou na tarde dessa segunda-feira (05), na Superintendência da Caixa Econômica Federal em Feira Santana, seis novos contratos de obras para o município. Os projetos somam  investimento de quase R$2 milhões.

Projeto da Praça no Bairro Copirecê. Ascom/PMI

Segundo o gestor, serão construídas novas praças nos bairros Copirecê e Asa Sul, além da pavimentação de ruas nos bairros São José e Vila Esperança (1ª etapa), e da Avenida Guararapes, com asfalto quente.

Projeto da Praça do Bairro Asa Sul. Ascom/PMI

“Está previsto ainda a iluminação do estádio Douradão, um desejo antigo dos esportistas da cidade que estamos realizando”, afirmou o prefeito. “Agora vamos licitar o mais rápido possível para iniciar essas obras, que serão fundamentais para a infraestrutura e desenvolvimento do nosso município”, finalizou.

As obras contam com recursos de emendas da senadora Lídice da Mata (PSB) e dos deputados Valmir Assunção (PT), Daniel Almeida (PCdoB), Luiz Caetano (PT), Afonso Florence (PT) e Tia Eron (PRB).

TCM-BA realiza Encontro Regional de Orientação Técnica, com a temática “Fomento e Fortalecimento do Controle Interno e Social”

Foto: Divulgação.

Da Redação

O município de Itaberaba-BA recebe nos dias 5 e 6 de novembro, das 8h às 18h, o Encontro Regional de Orientação Técnica, que este ano tem como temática “Fomento e Fortalecimento do Controle Interno e Social”.

O evento acontece no Campus da Universidade do Estado da Bahia na cidade, situado na Avenida Luis Viana Filho, 1861.

Confira a programação completa:

05/11/2018

08h – CREDENCIAMENTO

08 h 30- SOLENIDADE DE ABERTURA

PALESTRAS:

09h00min – Os Principais Motivos das Rejeições de Contas no TCM/BA

Palestrante: Professor MS. Ronaldo Nascimento Sant´Ana – Cons. Substituto TCM/BA

11h00min – Estrutura e Funcionamento do Ministério Público de Contas do TCM/BA

Palestrante: Professor Dr. Danilo Diamantino – Procurador Geral do MPC/TCM/BA

10h00min – Principais aspectos relativos á Lei de responsabilidade fiscal – LRF

Instruções Normativas TCM/BA 02 e 03/2018

Palestrante: Professor Ms. Alessandro Prazeres Macedo – Auditor Estadual de

Controle Externo, exercendo a função de Chefe da Assessoria Jurídica TCM/BA

12h – INTERVALO PARA ALMOÇO

14h00 min – Controle Social e a Importância dos Observatórios Sociais nos

Municípios

Palestrante: Professor Dr. Crispiniano Carneiro de Oliveira – UNEB

14h40 min – Compliance, Ferramenta que Ajuda no Controle de Contas em Todos os

Setores da Economia

Palestrante: Professora Msa. Luciana Luciana Simões de Oliveira Conselheira do

Conselho de Contabilidade do Estado da Bahia

15h30 min – Estrutura, Funcionamento e Prestação de Contas no âmbito do Tribunal

de Contas dos Municípios do Estado da Bahia

Facilitador: Professor Adelmo Gomes Guimarães – Auditor Estadual de Controle

Externo

TCM/BA, exercendo a função de Diretor Adjunto da Escola de Contas do TCM/BA

16h30min – Responsabilidades dos Agentes Públicos e Conselhos Sociais

Palestrante: Dr. Tiago Assis – Presidente da Comissão de Orçamento OAB/BA

17h10 min – Prestação de Contas Públicas: FERRAMENTAS SIGA x e-TCM

Palestrante: Ari Ramos Andrade – Assistente Técnico Suporte SIGA x e-TCM

06/11/2018

08h – CREDENCIAMENTO

08h30 min – Mini-curso de Licitações e contratos

Facilitador: Alessandro Prazeres Macedo – Auditor Estadual de Controle Externo, exercendo a função de Chefe da Assessoria Jurídica TCM/BA

12h – INTERVALO PARA ALMOÇO

13h30min – Mini-curso: Orçamento Básico

Palestrante: Adelmo Gomes Guimarães – Auditor Estadual de Controle Externo

TCM/BA, exercendo a função de Diretor Adjunto da Escola de Contas do TCM/BA

18h00 min- ENCERRAMENTO

Com informações da Ascom TCM-BA

Campus XXIII da UNEB em Seabra celebra seus 15 anos de atuação

Foto: Divulgação.

Por Ascom UNEB

A UNEB de Seabra, na região da Chapada Diamantina está em festa. O campus foi criado em 2002, através do Decreto nº 8.354 de 31 de outubro daquele ano, e a promoção de suas atividades foram iniciadas em 2003 no Centro de Treinamento de Líderes (CTL). São, portanto, 15 anos de atividades.

Para a diretora do Campus, Profª Drª. Renata Nascimento, a palavra que define a UNEB em Seabra é “Resistência!”. Conforme a diretora, a universidade tem esse caráter acolhedor e de luta pela promoção dos direitos e das oportunidades educacionais aos indígenas, quilombolas e de todos sem distinção.

“É a Universidade gratuita da Chapada Diamantina que tem caráter popular e inclusivo de bastante relevância para a comunidade. Lembramos que a Universidade é a casa do saber crítico, da formação cidadã em sua totalidade. Temos o desafio da resistência em tempos temerosos e difíceis que estão por vir. A marca da UNEB é a Resistência, são muitas as vitórias ao longo desses anos como a construção da nova sede”, ressalta a diretora.

De acordo com o técnico universitário Elvis Soares, são bem perceptíveis os resultados da UNEB na Chapada: “a UNEB aqui representa a consolidação do ensino superior, de maior oportunidade educacional e inclusiva. Além de formar alunos seu papel vai além ao promover uma real integração social da região de Seabra, alavancando seu desenvolvimento”, afirmou.

Nessa perspectiva o técnico da UNEB, que é da cidade vizinha, Palmeiras, foi estudante de uma das primeiras turmas do curso de Letras. Ele aponta ainda que comemorar os 15 anos tem um sentido bem mais amplo que é o de transformação da realidade regional, pois os alunos egressos dessa Universidade ganham uma nova visão sobre a dimensão da realidade e modificam suas próprias comunidades, destacando as vitórias e a importância de muitos programas, cursos de extensão que existem na UNEB e que já mudaram a vida de tantos alunos.

“A UNEB é a Universidade mais agregadora de pessoas que vêm de realidades difíceis”, reafirma o técnico sobre as transformações humanas e sociais através do conhecimento que ele tem presenciado de alunos do campus. Programas como o Programa de formação de Professores do Estado (PROESP), Programa Intensivo de Graduação que ficou conhecido como REDE UNEB 2000 e PLATAFORMA FREIRE formaram grande parte dos profissionais que atuam hoje na Chapada.

O estudante e professor da rede pública, Lanuce Barbosa, advindo da comunidade quilombola de Baixãozinho, também assinala que a UNEB transformou sua vida, vindo ele de uma realidade difícil em que a localidade não oferecia oportunidades de crescimento. Barbosa viu seu futuro profissional mudar radicalmente a partir do ingresso na UNEB. Atualmente, ele é graduado em Letras e Sociologia e cursa também o curso de Pedagogia no Campus XXIII.

“Hoje eu percebo que a Universidade me possibilitou adentrar em caminhos que antes nem sonhava, vi como a minha realidade mudou e me tornei muito melhor como uma pessoa crítica e formador de opinião”, pontuou. Para ele, Seabra hoje oferece um ensino de qualidade nas escolas do ensino básico porque os professores receberam excelente formação na universidade pública, sendo a UNEB a principal referência de educação superior na cidade de Seabra.

Vereadores de Irecê-BA denunciam ex-prefeito Luiz Pimentel Sobral (Podemos) a Polícia Federal por dívidas junto ao INSS

Ex-prefeito e suplente de Deputado Estadual Luiz Pimentel Sobral. Foto: Divulgação.

Por Juliano Ferreira

Os Vereadores Tertuliano Leal Libório – Tertinho (PTB), líder da bancada do governo na Câmara, Rogério Santos Amorim – Figueredo (PSB), Presidente da Mesa Diretora da Câmara Municipal de Irecê, Fabiano Oliveira Silva dos Santos – Fabiano Bia (PPS), Luciano Pereira da Silva (PV), Meire Joyce Souza Figueiredo – Meirinha, 1ª Secretária da Mesa Diretora (Rede) e Murilo Franca Paiva Silva (PPS), relator da Comissão de Justiça e Redação, protocolaram denúncia à Superintendência Regional da Polícia Federal na Bahia contra o ex-prefeito do Município de Irecê, Luiz Pimentel Sobral (Podemos) por conta de dívidas deixadas junto ao INSS (Instituto Nacional do Seguro Social).

O documento encaminhado ao Procurador da República em Irecê-BA diz que “quando o ex-prefeito tomou posse em 1º de janeiro de 2013, recebeu como dívida fundada com o INSS, R$ 21.413.144,96 conforme demonstrativo das contas de dezembro de 2012, último mês da gestão do ex-prefeito José Carlos Dourado das Virgens (à época no PT), e que este herdou do ex-prefeito Joacy Nunes Dourado (PMDB), dívida fundada com o INSS no valor de R$ 22.080.414,37, conforme balanço patrimonial do exercício de 2008”.

O documento aponta que “em 31 de dezembro de 2016, o ex-prefeito Luiz Pimentel Sobral entregou o município de Irecê-BA, para o atual gestor Elmo Vaz Bastos de Matos (PSB), sem apresentação do relatório conclusivo da transmissão de governo, e com a dívida junto ao INSS de R$ 79.079.032,82.

Diante do exposto, afirma o documento, “deduzimos que: todos os ex-prefeitos passados até 31 de dezembro de 2012, ou seja, até a gestão de José Carlos Dourado das Virgens, acumularam dívidas com a previdência social (INSS) no montante de R$ 21.413.144,96 e o ex-prefeito Luiz Pimentel Sobral em quatro anos de gestão aumentou essa dívida em R$ 57.665.887,86, diferente do que fez o gestor anterior que amortizou a dívida com o INSS em R$ 667.269,41”.

Ao finalizar, o documento protocolado em 24 de setembro de 2018 pede investigação ao Ministério Público Federal “por conta de atos e ações muito irrazoáveis relacionados com a dívida de Irecê-BA e o Instituto Nacional de Seguro Social”. O documento pede ainda “que em havendo dano ao erário o representado (Luiz Pimentel Sobral) seja responsabilizado e penalizado na forma da lei.
O documento encaminhado a Superintendência Regional da Polícia Federal na Bahia é de 2 de outubro de 2018.

Em ofício nº 20 de 24 de julho de 2018 sobre o saldo das dívidas em 31 de dezembro de 2016 enviado ao atual prefeito Elmo Vaz Bastos de Matos pela Receita Federal, o valor total deixado pelo ex-prefeito Luiz Pimentel Sobral é de R$ 79.079,032,82.

Na Sessão Ordinária da Câmara Municipal de Irecê desta quinta-feira, 1º de novembro, o Presidente da Câmara, Figueredo comentou o assunto: “O ex-prefeito endividou o município em apenas quatro anos de gestão e até agora não vi nenhum membro da bancada de oposição falar nada a respeito do assunto. Gostaria que alguns colegas refletissem sobre o assunto em redes sociais e na mídia local.É por isso que protocolamos esta denúncia junto ao Ministério Público Federal e a Polícia Federal”.