Povoado de Araçatuba, Presidente Dutra-Bahia sob o olhar do fotojornalista Juliano D´Carmo

Texto e fotos: Juliano D´Carmo

Fotografar Araçatuba é um grande desafio, pois é lá que encontro e me reencontro com minhas memórias e a imagem indelével de meu avô, Pedro Firmo do Carmo (In memorian), sentado embaixo da árvore e fumando seu cigarro, ou deitado com seu pigarrear, querendo silêncio, algo que a geração atual jamais vai entender, porque chama as gerações mais antigas de “você” e não de “senhor” ou “senhora”. A plasticidade do cenário da Caatinga é revelada nas casas abandonadas por seus moradores, na barragem construída sob a gestão de Eurico Barreto, e que hoje serve para a dessedentação de animais e não para o banho turístico como anteriormente. As águas que correm de São Gabriel e vão parar na barragem do povoado, já matou muita gente, assim como o Rio São Francisco, agora, é reduto das borboletas amarelas, que fizeram um balé diante de meus olhos. Segurar a emoção é um desafio quando os olhos lacrimejam de saudade, não só de quem já se partiu, mas de algo ou alguém que ainda está presente entre nós e que guarda esta palavra sem tradução, saudade. Esta série de fotografias, dedico a Edna Silva do Carmo, Vera Lúcia do Carmo Sousa e Pedrina Silva do Carmo.

 

 

Opinião: Aviadando para construção de uma Pedagogia da Libertação assim como ensinou Paulo Freire

 

Diante da proibição da exposição queer no Santander; diante da tentativa judicial de repatologização da homossexualidade no Distrito Federal; diante dos absurdos ditos pelo vereador Ronaldo Cancão na tribuna da Câmara Municipal de Petrolina, é cada vez mais urgentes posicionamentos que venham dos/as LGBTs. Com isso, aproveitando o aniversário do grande professor Paulo Freire, venho nesse curto artigo refletir sobre a Pedagogia do Oprimido e sua contribuição na promoção da libertação dos/as sujeitos/as LGBTs.

Em uma de suas ultimas entrevistas Freire, encantado com o Movimento dos Sem Terras (MST), fala da necessidade de por todos/as os/as oprimidos/as em marcha. Ressaltando assim a importância dos novos movimentos sociais, e, com isso, nos apontando para a necessidade de constituição da marcha daqueles/as que querem amar e são impedidos. Sem fazer referência direta à sigla LGBT ele nos reconhece oprimidos/as pela lógica de desumanização instaurada por essa sociedade capitalista.

Segundo o nosso educador só os/as oprimidos/as são capazes de produzir a pedagogia de sua libertação, no entanto é necessário reconhecer-se enquanto oprimido/a. Precisamos então, no momento do contato com o outro(opressor), desestabilizar os nossos sistemas de verdades exógenos, que dizem sobre nós, mas não por nós. Assim podemos construir relações sociais que não se orientem por posturas eugênicas, que não busque a homogeneização dos indivíduos, não suprimindo físico e simbolicamente as diversidades de formas de ser no mundo. Não almejando assim um suposto modo melhor de ser, contribuindo para o exercício da vocação humana de ser mais, e com isso melhor/ando no mundo. Ser mais na descoberta da particularidade da sua existência, assim como nos ensinou Paulo Freire.

As identidades são lugares em movimento, em disputa, que se re/faz na/pela representação. Nesse sentido é que precisamos fazer o movimento em direção à humanização dos sujeitos gays, erigindo identidades que emanam desses corpos de formaautônomas, livres das violências disciplinares instituídas pelas identidades que se fizeram centros hegemônicos e reguladores. Ao fazermos isso acabamos por humanizar também os não gays, pois estes são desafiados a se repensarem humanos.

O movimento LGBT se insere naquilo que Paulo Freire chamou de busca da vocação humana. Haja vista que, o ser deve forjar-se na ruptura do parecer, pois parecer é parecer com o opressor. Na busca do ser mais, nossa verdadeira vocação humana, nos fazemos humanos. Pois tal vocação só pode ser exercida no exercício de humanização do outro, ser sendo com o outro. Aviadar-seé então nos permitir aprender na desestabilização das identidades, isso que se faz nas disputas politica de representação.

O grande problema está em como poderão os oprimidos, que “hospedam” o opressor em si, participar da elaboração, como seres duplos, inautênticos, da pedagogia de sua libertação. Somente na medida em que se descubram o “hospedeiro” do opressor poderão contribuir para o partejamento de sua pedagogia libertadora (FREIRE, 2011).

Assim sendo, o aviadamento pressupõe o rompimento com os modos corretos de ser. Extirpando assim o complexo da opressão, provocando a descoberta do hospedeiro que faz com que o oprimido pareça ser o que não si é, ser não sendo.

Segundo essa perspectiva, por meio de atos de violência, os sujeitos gays podem ser coagidos a não existir enquanto possibilidade no mundo, limitando-se a parecer ser hétero. Uma espécie de interdição dos espíritos, do ser, do corpo, do pensamento. A verdadeira vocação humana, o ser mais, é impossibilitada de se realizar devido à naturalização dos lugares e não lugares identitários que nos colonizam com sentimento de ser menos, de ser defeituoso, de ser patológico. E, com isso, vivemos uma hierarquização dos/as diferentes sujeitos/as.

Esses processos hierarquizadores se manifestam de diferentes formas, atingem os/as diferentes sujeitos/asc om potência de violência também diferente. A bicha pão com ovo, a biba, a pocpoc, a pintosa, a afetada, são as que mais sofrem com as agressões que se instituem por meio da hierarquização social. Seus corpos carregam inscrições de feminilidades não aceitas pelas normas morais machistas vigentes, e assim são submetidos aos processos disciplinadores que se fazem sobre a égide de muita violência.

FREIRE. Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2011.

Antonio Carvalho é Historiador pela UPE e Mestre em Educação pelo PPGESA/UNEB

Garoto da Chapada Diamantina é selecionado para Ballet Bolshoi

Por Guia da Chapada Diamantina

Em Seabra, na Chapada Diamantina, existe uma família perto de realizar um sonho. Gabriel Serrano Ursule, de apenas 11 anos, foi selecionado para ocupar uma das 40 vagas do curso de Dança Clássica na Escola de Teatro Bolshoi Brasil, uma das principais companhias de dança do mundo.

Gabriel é filho de uma confeiteira e tem outros três irmãos. Desde muito novo, estuda teatro, música e circo, o que despertou a atenção de Vera Pardo, dona da Academia Arte e Movimento, em Seabra. “Foi a Vera que enxergou o potencial do Gabriel para o balé. Ela deu uma bolsa para ele frequentar sua escola e estudar os principais movimentos clássicos; também foi ela quem o conduziu à pré-seleção do Bolshoi, em Ilhéus, e na seletiva de Joinville, quando ele foi aprovado”, comenta Andrea, mãe de Gabriel.

Gabriel e a professora Vera Pardo

Pedido de apoio

As aulas iniciam fevereiro, porém a família não tem recursos suficientes para realizar sua mudança para Joinville. Por isso, está no ar uma campanha de financiamento coletivo que tenta recolher R$ 10.000,00 para que toda a família acompanhe o pequeno artista e o ajude a realizar seu sonho.

A seleção
Gabriel passou entre de 4.870 inscritos. O índice de candidatos por vaga chegou a 121, uma disputa acirrada. Concorrentes de 22 estados brasileiros, Distrito Federal e Argentina participaram do processo, que tinha 4 etapas eliminatórias através de exames médicos fisioterápicos e artísticos.
Foram aprovadas 40 crianças, que iniciam na primeira série e oito adolescentes que vão para as séries mais avançadas.

A pré-seleção em Ilhéus-BA

Os aprovados serão bolsistas e ingressam no Curso de Dança Clássica, com duração de até oito anos. Além de ensino gratuito, oferecido pelos Amigos do Bolshoi, as crianças recebem benefícios como alimentação, transporte, uniformes, figurinos, assistência social, orientação pedagógica, assistência odontológica preventiva, atendimento fisioterápico, nutricional e assistência médica de emergência/urgência pré-hospitalar.

Escola de Teatro Bolshoi Brasil

Considerada uma das melhores escolas de balé do mundo, a Escola de Teatro Bolshoi do Brasil é a única filial do famoso Teatro Bolshoi da Rússia.
Proporciona a formação de artistas da dança, ensinando a técnica de balé segundo a metodologia Vaganova, dança contemporânea e disciplinas complementares. Com alunos vindos de diferentes estados brasileiros e do exterior, a instituição ressalta o seu compromisso social, ao conceder 100% de bolsas de estudo e benefícios para todos os alunos. Uma Seleção acontece todos os anos para o ingresso de novos bailarinos.

A Escola é uma instituição com personalidade jurídica, de direito privado, sem fins lucrativos, que tem apoio da Prefeitura Municipal de Joinville e é mantida pelo Governo do Estado de Santa Catarina e pelos chamados “Amigos do Bolshoi”, com empresas patrocinadoras.

Colabore! Ajude o Gabriel a realizar este sonho e faça sua doação aqui.

Decreto no último dia de Temer escancara desigualdades entre rádios comerciais e comunitárias

 

Da Redação Barão de Itararé com TVT

No apagar das luzes, Michel Temer assinou um decreto extinguindo e suspendendo cerca de 130 rádios comunitárias de diversas partes do Brasil. Entidades que defendem essas rádios julgam o decreto uma arbitrariedade e um retrocesso na democratização da mídia. “Tomar a decisão de publicar uma portaria, no último dia do ano, extinguindo e cassando a concessão de 130 rádios em todo o Brasil, sem nenhum diálogo, demonstra que o tratamento que o Estado dá às rádios comunitárias e às rádios comerciais é totalmente diferente”, afirma Renata Mielli, Secretária-Geral do Centro de Estudos da Mídia Alternativa Barão de Itararé, em entrevista à TVT.

Para ela, fica claro que não há nenhuma isonomia no tratamento. “Algumas questões são históricas, de questionamento e crítica por parte do movimento pela democratização da comunicação”, acrescenta Mielli, que também coordena o Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação (FNDC). “Uma delas é a questão do alcance, já que a lei determinou que as rádios comunitárias só poderiam ter o alcance do raio de 1km de seu estúdio. Isso é completamente sem noção de realidade do que é uma comunidade no Brasil. Essa rádio deve servir à comunidade. Imagine, por exemplo, uma comunidade ribeirinha do Amazonas. Ela não tem só um quilômetro de extensão, tem muito mais. A própria rádio comunitária não poder falar para toda a sua comunidade é uma das coisas que precisam ser modificadas”.

Confira a reportagem da TVT na íntegra:

Ministério da Saúde exonera diretora do Departamento de HIV/Aids

Estadão Conteúdo

A médica sanitarista Adele Benzaken foi exonerada da direção do Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das ISTs, do HIV e Hepatites Virais do Ministério da Saúde. A decisão foi tomada nesta quinta, em meio a uma série de manifestações pela permanência da médica no cargo e uma semana depois da polêmica em torno da cartilha, lançada há seis meses para homens trans. Assume a diretoria seu adjunto, Gerson Pereira.

O Ministério da Saúde atribuiu a mudança a uma renovação da equipe e informou que Adele foi convidada para continuar a contribuir para formulação de políticas para o setor. Adele assumiu a direção do departamento em 2016. Em sua gestão, o País começou a adotar a profilaxia pré-exposição (PrEP), que prevê o uso de antirretrovirais não como tratamento do HIV, mas para prevenir a infecção. Com amplo apoio de organizações não governamentais, a permanência de Adele era considerada como uma garantia da manutenção de ações modernas de prevenção, de combate ao preconceito e de promoção dos direitos humanos.

Os sinais de que a gestão de Adele estavam sob risco começaram ainda antes da posse do presidente Jair Bolsonaro e do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. Antes de assumir a pasta, Mandetta mostrou descontentamento com as ações de prevenção e disse ser necessária a adoção de estratégias que não “ofendessem” as famílias.

As suspeitas ganharam corpo semana passada, com a suspensão no site do ministério da Saúde de uma cartilha voltada para homens trans, que havia sido lançada há seis meses pela pasta. A retirada do material foi informada pelo jornal O Estado de S. Paulo. A justificativa oficial era a de que haviam sido identificadas “falhas” no material.

Um esquema para o pump (uma seringa invertida usada por parte da população para ampliar o clitóris) teria sido incluído sem advertências necessárias. O ministro da Saúde afirmou que a prática, controversa, não poderia ser recomendada pela pasta. A ilustração, porém, havia sido incluída para alertar sobre a necessidade de não compartilhar as seringas. Uma medida de redução de danos, não de incentivo, informaram técnicos do ministério.

A cartilha havia sido elogiada por médicos que trabalham na prevenção de infecções sexualmente transmissíveis. Em entrevista ao Estado, a diretora em exercício do Centro de Referência e Treinamento em DST/Aids de São Paulo, Rosa de Alencar Souza, afirmara que a cartilha trazia informações importantes e que não havia ali nada que justificasse a retirada de circulação.

A retirada do material que estava no site provocou uma série de críticas ao ministério e foi interpretada como um claro sinal de recuo das ações de prevenção de doenças sexualmente transmissíveis.

Nesta quinta, a cartilha foi abordada numa conversa entre Adele e o secretário de Vigilância em Saúde, Wanderson Kleber de Oliveira.

As cartas em defesa da permanência de Adele no cargo começaram a ser enviadas nesta quarta a Mandetta. Entre elas, a Articulação Nacional de Luta contra Aids, o Fórum de ONGs de Aids de São Paulo e infectologista José Ramalho Madruga.

“Não podemos adormecer diante de uma epidemia que se aproxima de um milhão de casos e mais de 350 mil mortes desde 1980 no Brasil. Problematizar a questão da aids é compreendê-la dentro da concepção mais ampla”, afirmaram na carta integrantes da Anaids. O Fórum de ONGs Aids do Estado de São Paulo, por sua vez, afirmou a importância das ferramentas para prevenção da infecção, entre elas, a profilaxia pré-exposição (PrEP), que prevê o uso de medicamentos entre populações mais vulneráveis à doença de forma preventiva. Ramalho Madruga observou que, na gestão de Benzaken, o Brasil foi o primeiro país da América Latina a ofertar a PrEP.

Doze chefes de Estado confirmam presença na posse de Bolsonaro

Por Poder 360

Até esta 5ª feira (27.dez.2018), 12 chefes de Estado haviam confirmado presença na cerimônia de posse do presidente eleito, Jair Bolsonaro, em 1º de janeiro de 2019, em Brasília.

De acordo com o Itamaraty, no entanto, os nomes das autoridades não pode ser divulgado por motivos de segurança. Conheça o cronograma detalhado da cerimônia.

As presenças já divulgadas são de 7 presidentes de países vizinhos. São eles: Maurício Macri (Argentina), Sebastián Piñera (Chile), Mario Abdo Benítez (Paraguai), Tabaré Vázquez (Uruguai), Iván Duque Márquez (Colômbia), Marín Vizcarra (Peru) e Evo Morales (Bolívia). Também foi confirmada a presença de Marcelo Rebelo de Sousa, presidente de Portugal.

Segundo o Ministério das Relações Exteriores, a lista de autoridades confirmadas também conta com 3 vice-presidentes, 11 chanceleres, 16 enviados especiais e 3 diretores de organismos internacionais.

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahuo secretário de Estado dos Estados Unidos, Mike Pompeo também devem vir ao Brasil para a posse.

Além disso, estão confirmadas mais 10 autoridades, entre elas o chanceler da Argentina, Jorge Faurie, e o o vice-presidente do Comitê Permanente da Assembleia Popular (Parlamento chinês), Ji Bingxuan.

A expectativa do Itamaraty é de que 60 delegações estrangeiras participem da posse. A lista de convidados para a cerimônia é de 140 pessoas.

Com informações da Agência Brasil

Conheça os nomes já confirmados para a equipe ministerial de Bolsonaro

Por Agência Brasil  Brasília

Veja quem já foi confirmado para a equipe ministerial do presidente eleito, Jair Bolsonaro:

Casa Civil

Deputado federal pelo DEM do Rio Grande do Sul, Onyx Lorenzoni assumirá a Casa Civil. Por enquanto, atua como ministro extraordinário da transição.

O ministro extraordinário do governo de transição do presidente eleito Jair Bolsonaro, Onyx Lorenzoni, fala à imprensa no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), em Brasília.
Onyx Lorenzoni – Valter Campanato/Arquivo/Agência Brasil

Gabinete de Segurança Institucional

Oficial da reserva, o general Augusto Heleno Ribeiro Pereira assumirá o Gabinete de Segurança Institucional (GSI). É chamado de “conselheiro” pelo presidente eleito.

O general da reserva Augusto Heleno, indicado para ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), fala à imprensa no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), em Brasília, onde funciona o gabinete de transição de governo.
General Augusto Heleno – Antonio Cruz/Arquivo/Agência Brasil

Ministério da Economia

O economista Paulo Guedes, que acompanhou Bolsonaro durante a campanha, ocupará o Ministério da Economia (unindo Fazenda, Planejamento e Indústria e Comércio).

O economista Paulo Guedes, que assumirá, no governo de Jair Bolsonaro (PSL), o recém-criado Ministério da Economia, se reúne com o atual ministro da Fazenda, Eduardo Guardia
Paulo Guedes – Marcello Casal Jr./Agência Brasil/Arquivo/Agência Brasil

Ministério da Justiça e da Segurança Pública

O juiz federal Sergio Moro, responsável pelos processos da Operação Lava Jato, assumirá o Ministério da Justiça (fusão com a Secretaria de Segurança Pública e Conselho de Controle de Atividades Financeiras, Coaf).

O futuro ministro da Justiça, juiz federal Sérgio Moro, durante coletiva de imprensa após reunião com o atual ministro da pasta, Torquato Jardim.
Sergio Moro – Fabio Rodrigues Pozzebom/Arquivo/Agência Brasil

Ministério da Ciência e Tecnologia

Astronauta e próximo ao Bolsonaro, Marcos Pontes ficará à frente do Ministério de Ciência e Tecnologia, que deverá agregar também a área do ensino superior.

 

O astronauta Marcos Pontes, futuro ministro de Ciência e Tecnologia, chega ao Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), em Brasília, para reunião no gabinete do governo de transição.
Marcos Pontes – José Cruz/Agência Brasil

Ministério da Agricultura

Deputada federal pelo DEM do Mato Grosso do Sul, a engenheira agrônoma e empresária do agronegócios Tereza Cristina será a futura ministra da Agricultura.

A futura ministra da Agricultura, Tereza Cristina fala aos jornalistas depois de reunião com a equipe de transição no CCBB.
Tereza Cristina – Antonio Cruz/Arquivo/Agência Brasil

Ministério da Defesa

O general Fernando Azevedo e Silva é militar da reserva e atuou como assessor do presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli.

general Fernando Azevedo e Silva
General Fernando Azevedo e Silva – José Cruz/Arquivo/Agência Brasil

Ministério das Relações Exteriores

Diplomata há 29 anos, Ernesto Fraga Araújo, é o atual diretor do Departamento de Estados Unidos, Canadá e Assuntos Interamericanos do Itamaraty. Formado em Letras, será o próximo chanceler do país.

O futuro ministro das Relações Exteriores, embaixador Ernesto Fraga Araújo, concede entrevista à imprensa no CCBB.
Embaixador Ernesto Fraga Araújo – Valter Campanato/Agência Brasil

Banco Central

O economista Roberto Campos Neto, de 49 anos, vai comandar o Banco Central. Executivo do banco Santander e neto do ex-ministro Roberto Campos, Campos Neto é formado em economia, com especialização em finanças, pela Universidade da Califórnia, em Los Angeles.

O economista Roberto Campos Neto (Assessoria de Imprensa da transição/Divulgação)
Roberto Campos Neto – Assessoria de Imprensa do governo de transição/Direitos reservados

Ministério da Transparência e Controladoria-Geral da União

Servidor de carreira e ex-capitão do Exército, Wagner de Campos Rosário vai continuar no cargo de ministro da Transparência e Controladoria-Geral da União (CGU), que ocupa desde maio de 2017.

O ministro da Transparência e Controladoria-Geral da União (CGU), Wagner Rosário, durante o lançamento do novo Portal da Transparência do governo federal.
Wagner Rosário- Marcelo Camargo/Agência Brasil

Ministério da Saúde

Ortopedista pediátrico, o deputado federal Luiz Henrique Mandetta (DEM-MS), de 53 anos, vai assumir o Ministério da Saúde a partir de janeiro de 2019. Ele não se candidatou à reeleição e seu mandato termina no final do ano.

Brasília - Deputado Mandetta (DEM/MS)fala durante discussão do processo de impeachment de Dilma, no plenário da Câmara (Valter Campanato/Agência Brasil)
Luiz Henrique Mandetta Valter Campanato/Agência Brasil

Advocacia-Geral da União

Advogado da União desde 2000 e com pós-graduação em Governança Global, André Luiz de Almeida Mendonça vai assumir a Advocacia-Geral da União.

André Luiz, AGU
André Luiz de Almeida Mendonça – Divulgação/PGU

Secretaria-Geral da Presidência da República

O advogado Gustavo Bebianno será o ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência. Presidente do PSL durante a campanha eleitoral, Bebianno adiantou que a principal atividade de sua pasta será a modernização e a desburocratização do Estado.

Gustavo Bebianno foi confirmado como futuro ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República.
Gustavo Bebianno foi confirmado como futuro ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República – José Cruz/Agência Brasil

 

Ministério da Educação

Filósofo é professor emérito da Escola de Comando e Estado Maior do Exército, Ricardo Vélez Rodríguez assumirá o Ministério da Educação.

Ricardo Vélez Rodríguez é indicado para o Ministério da Educação no governo de Jair Bolsonaro
Ricardo Vélez Rodríguez é indicado para o Ministério da Educação no governo de Jair Bolsonaro – Ricardo Vélez Rodríguez/Redes Sociais

Secretaria de Governo

O general-de-divisão será novo secretário de governo. O órgão tem status de ministério. A principal missão de Cruz será a articulação com o Congresso Nacional e com partidos políticos e o diálogo com estados e municípios.

 

Brasília - O secretário nacional de Segurança Pública, general Carlos Alberto Santos Cruz, durante reunião com secretários de Segurança Pública dos estados (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)
O general Carlos Alberto Santos Cruz foi escolhido para assumir a Secretaria de Governo – Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Ministério da Infraestrutura

Tarcísio Gomes de Freitas irá assumir o Ministério da Infraestrutura, que vai abranger os setores de transporte aéreo, terrestre e aquaviário. Ele já foi diretor executivo do Departamento Nacional de Infraestrutura Transporte (Dnit).

 O novo ministro da Infraestrutura Tarcisio Gomes de Freitas, fala à imprensa, no CCBB.
Tarcísio Gomes de Freitas será o novo ministro da Infraestrutura – Wilson Dias/Agência Brasil

Ministério do Desenvolvimento Regional

Atual secretário-executivo do Ministério da Integração Nacional, Gustavo Henrique Rigodanzo Canuto vai assumir o Ministério do Desenvolvimento Regional. A pasta deve agregar as atuais atribuições dos ministérios da Integração Nacional e das Cidades, além de assumir programas importantes como Minha Casa Minha Vida, de habitação, e ações relacionadas a obras contra a seca e infraestrutura hídrica.

Secretário executivo do Ministério da Integração Nacional (MI), Gustavo Canuto, participa da abertura do seminário Programa Interáguas – Contextualização e Avaliação.
Secretário-executivo do Ministério da Integração Nacional, Gustavo Canuto, vai assumir novo ministério – Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Ministério da Cidadania

Ex-ministro do Desenvolvimento Social no governo Temer, Osmar Terra vai assumir o Ministério da Cidadania, que vai fundir as atribuições dos ministérios do Esporte, da Cultura, além da Secretaria Nacional de Política sobre Drogas (Senad), vinculada atualmente ao Ministério da Justiça. A pasta será responsável por programas como o Bolsa Família.

O deputado Osmar Terra foi o relatar da comissão mista que aprovou a Medida Provisória (MP) 832/18, que estabelece um preço mínimo para os fretes de carga no país. Dessa forma, a MP pode ser votada pelo plenário da Câmara dos Deputados.
Terra deixou o Ministério do Desenvolvimento Social em abril, para concorrer à reeleição na Câmara – Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Ministério do Turismo

O deputado federal Marcelo Álvaro Antônio (PSL) será o ministro do Turismo. Ele está no segundo mandato e foi o deputado mais votado de Minas Gerais nas últimas eleições, com mais de 230 mil votos. Ele integra a frente parlamentar evangélica no Congresso.

 

O futuro ministro do Turismo no governo de Jair Bolsonaro, deputado federal Marcelo Álvaro Antônio, fala à imprensa, no CCBB.
O futuro ministro do Turismo no governo de Jair Bolsonaro, deputado federal Marcelo Álvaro Antônio – Valter Campanato/Agência Brasil

Ministério de Minas e Energia

O almirante-de-esquadra Bento Costa Lima Leite de Albuquerque Júnior assumirá o Ministério de Minas e Energia. Ele é atualmente diretor-geral de Desenvolvimento Nuclear e Tecnológico da Marinha.

 

2015-12-08 Ministro da Defesa Aldo Rebelo participa da transmissão de cargode Comandante-em-Chefe da Esquadra ao Vice-Alte. Bento Costa Lima Leite de Albuquerque Júnior - Foto: Felipe Barra
Bento Costa Lima Leite de Albuquerque Júnior será o ministro de Minas e Energia – Ministério da Defesa/Divulgação

Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos

A advogada Damares Alves assumirá o Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos. Assessora do senador Magno Malta (PR-ES), Damares comandará a pasta que será criada no governo de Jair Bolsonaro, a partir de janeiro. O novo ministério também vai agregar a Fundação Nacional do Índio (Funai).

Futura ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, fala à imprensa no CCBB. Ela também ficará responsável pela Funai.
Futura ministra de Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves. Ela também ficará responsável pela Funai – Valter Campanato/Agência Brasil

Ministério do Meio Ambiente

Advogado e administrador, Ricardo de Aquino Salles foi secretário particular de Alckmin entre 2013 e 2014 e secretário de Meio Ambiente de São Paulo dee 2016 a 2017.

Ricardo Salles
Ricardo Salles – Secretaria de meio ambiente São Paulo/Divulgação

Netanyahu chama Brasil de “grande potência” e fala em estreitar laços

Foto: Abir Sultan/Agência Lusa

Por Vitor Abdala – Repórter da Agência Brasil

Pouco antes de embarcar para o Brasil, o primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu demonstrou entusiasmo com sua primeira visita à região. Ele classificou o país como “grande potência”, lembrando que reúne a quinta maior população mundial, e disse que a partir da gestão do presidente eleito, Jair Bolsonaro, haverá “nova era entre Israel e a grande potência chamada Brasil”.

A mensagem foi postada em sua conta no Twitter. “É uma grande mudança com Bolsonaro. Estou contente por podermos começar uma nova era entre Israel e a grande potência chamada Brasil.”

Netanyahu manifestou sua expectativa diante da primeira visita ao Brasil. “Vamos discutir os laços de Israel com o maior país da América Latina, o quinto mais populoso do mundo. O Brasil é um país enorme, com enorme potencial para o Estado de Israel, economicamente, diplomaticamente e vis-à-vis segurança”.

Na manhã de hoje, a Embaixada de Israel no Brasil divulgou vídeo em que o embaixador Yossi Shelley fala sobre a visita. “É a primeira vez que um primeiro-ministro de Israel chega ao Brasil e vai encontrar o presidente Jair Bolsonaro para continuar nossas parcerias em agricultura, água e segurança pública”, disse.

Atividades

O primeiro-ministro desembarca de manhã no Rio de Janeiro e fica no país até terça-feira (1º), quando participa da cerimônia de posse do presidente eleito, Jair Bolsonaro. Nesta sexta-feira, eles almoçam no Forte de Copacabana. Também estarão presentes os futuros ministros Ernesto Araújo (Relações Exteriores) e Fernando Azevedo (Defesa).

Bolsonaro pretende transferir a Embaixada do Brasil de TelAviv para Jerusalém. Os Estados Unidos foram o primeiro país a adotar a mudança. A medida não é consensual, pois Jerusalém é um território disputado por questões políticas e religiosas entre judeus e muçulmanos.

A visita ocorre em meio a dificuldades na política interna israelense. Netanyahu enfrenta um processo judicial por denúncias de desvios. Há também ausência de consenso em torno de um projeto que fixa novas regras para o serviço militar, que levou o Parlamento de Israel a antecipar em sete meses as eleições parlamentares que ocorrerão em 9 de abril.

Agenda

No final da tarde, Netanyahu irá à sinagoga Beit Yaakov para a cerimônia religiosa do shabat. Nos dias em que ficará no Brasil, a agenda do primeiro-ministro será intensa. Ele terá conversas com jornalistas, líderes da comunidade judaica e Amigos Cristãos de Israel.

Durante a visita, o primeiro-ministro israelense aproveita para manter reuniões bilaterais com líderes estrangeiros. Ele se reúne com o presidente de Honduras, Juan Orlando Hernández, e o secretário de Estado dos Estados Unidos, Mike Pompeo. O último compromisso no Brasil será com o presidente do Chile, Sebastian Piñera.

João de Deus presta depoimento no Ministério Público de Goiás

O médium João de Deus chega à Casa Dom Inpacio Loyola, em Abadiânia. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Por Alex Rodrigues – Repórter da Agência Brasil

O médium goiano João Teixeira de Faria, o João de Deus, prestou depoimento hoje (26) aos promotores da força-tarefa criada pelo Ministério Público de Goiás (MP-GO), que investiga as acusações de crimes sexuais. As acusações foram apresentadas por mulheres que afirmam que, ao buscar tratamento espiritual na Casa Dom Inácio de Loyola, em Abadiânia (GO), sofreram abusos sexuais.

João de Deus está detido em caráter preventivo no Núcleo de Custódio do Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia, nos arredores da capital goiana, desde o último dia 16. Alegando inocência, ele já recorreu ao Supremo Tribunal Federal (STF) para tentar obter o direito de deixar a unidade prisional e cumprir prisão preventiva domiciliar, com o uso de tornozeleira. O recurso ao STF foi apresentado após o Tribunal de Justiça de Goiás (TJ-GO) e o Superior Tribunal de Justiça (STJ) negarem habeas corpus ao médium.

O médium deixou o complexo prisional cercado por forte esquema de segurança e chegou ao MP-GO por volta das 10 horas. Saiu cerca de duas horas depois e o teor de seu depoimento não foi divulgado.

Além do depoimento, os promotores que integram a força-tarefa do MP-GO ouviram mulheres que afirmam ser vítimas de João de Deus e também testemunhas. Até a última sexta-feira (21), a força-tarefa já contabilizava 596 contatos feitos por supostas vítimas por e-mail ou telefone. Destes, foram identificadas 255 possíveis vítimas, das quais 75 já haviam sido ouvidas formalmente até a mesma data. Segundo o MP-GO, 23 das 255 possíveis vítimas tinham entre 9 e 14 anos por ocasião dos fatos.

Entre as supostas vítimas identificadas, 39 são de Brasília e as outras de Goiás (21), do Rio Grande do Sul (20), Espírito Santos (11), Minas Gerais (15), Rio de Janeiro (7), Paraná (6), Santa Catarina (4), Mato Grosso (3), Mato Grosso do Sul (1), Maranhão (1), Pernambuco (1), Piauí (1) e Tocantins (1). Entre as mensagens recebidas pelo MP estadual há também mulheres que vivem no exterior: nos Estados Unidos (4), Austrália (3), Alemanha (1), Bélgica (1), Bolívia (1) e Itália (1).

A esposa do médium João de Deus, Ana Keyla Teixeira, de 40 anos, deve prestar depoimento hoje à Polícia Civil. A oitiva deve ocorrer a partir de 13h. Inicialmente, ela prestaria depoimento na Delegacia Estadual de Investigações Criminais (Deic), mas, segundo a assessoria da Polícia Civil de Goiás, “por questões de logística”, o depoimento foi alterado, e Ana Keyla será ouvida pela delegada Patrícia Meotti, da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), em Goiânia.

Além disso, a assessoria da Polícia Civil informou que João de Deus só deve voltar a prestar depoimento na Polícia Civil depois de novas diligências, incluindo oitivas de testemunhas.

*Colaborou Karine Melo, repórter da Agência Brasil

Agenda Cultural: Neide Vital e o DJ Raduki se apresentam no Caatingueiros Bar na balada mais colorida do ano

Da Redação

A cantora Neide Vital e o DJ Raduki se apresentam no Caatingueiros Bar, dia 29 de dezembro às 22h para celebrar o Bye Bye 2018, a balada mais colorida do ano.

Ingresso antecipado: R$ 20,00
Casadinha: R$ 30,00
Vendas: Mídia Explosão, próximo ao Supermercado Prakasa.

Mais informações: https://www.facebook.com/caatingueirosbar