Emiliano José lança livro e realiza palestra sobre AI5 e Ditadura Militar nesta quinta-feira (30) na Faculdade Irecê

Por Juliano Ferreira

Emiliano José lança seu livro “Waldir Pires” em Irecê-BA, nesta quinta-feira (30) e realiza palestra sobre o Ato Institucional 5 e a Ditadura Militar. O evento acontece no Auditório da FAI – Faculdade Irecê a partir das 19h30.

Emiliano José é doutor em Comunicação e Cultura Contemporâneas pela UFBA, professor e jornalista.

Para Eudes Pereira Bastos júnior, presidente do Diretório Acadêmico de Farmácia, “uma das missões do Diretório Acadêmico do curso de Farmácia da FAI, é ajudar a compor este elo que liga a instituição à sociedade e, pensando nisso, nossa equipe tem a honra de trazer para Irecê o lançamento da biografia do nosso saudoso ex-governador Waldir Pires, escrito pelo renomado Professor Emiliano José, que estará presente distribuindo autógrafos no auditório da Faculdade Irecê e participando de um debate sobre os 50 anos do Ato Institucional V”.

Participarão do debate os professores Rodolfo Carneiro e Marilva Batista Cavalcante (Faculdade Irecê), Wescley Dourado (Grupo Cometa) e Márcio Andrade (Cursinho Visão).

“Tendo em vista o cenário político onde ideais estão sendo perdidos e ideias extremistas vem ganhando novamente o apreço popular, surge hoje mais do que nunca, a necessidade de colocarmos em pauta este tema para que nunca nos esqueçamos dos anos de chumbo e dos incontáveis retrocessos que eles trouxeram ao campo da Ciência/Pesquisa/Saúde”, completou Eudes Bastos.

Barro Alto-BA: Intercâmbio quilombola reafirma cultura e identidade negra no Território de Irecê

Fotos: Uilson Viana e Comunidade Quilombola de Volta Grande-BA/IrecePress

Por Uilson Viana/Jornalista

Especial para IrecePress

Mulheres, jovens, homens e crianças da Comunidade Quilombola de Volta Grande no município de Barro Alto-BA vivenciaram um domingo diferente. É que no dia 15 de outubro a comunidade visitou o quilombo de Lagoa dos Batatas de Ibititá-BA em uma programação repleta de informação, formação, religiosidade ecumênica e apresentações da cultura afrodescendente.

No roteiro de visitações os participantes conheceram uma área de produção em transição agroecológica, onde o agricultor Leandro Macário faz usos da babosa e da fibra de sisal para controlar o ataque de pragas. A casa de farinha industrial, espaço marcante da culinária negra, gerida pela Associação Quilombola dos Batatas, também foi visitada.

A religiosidade de matriz africana também fez parte do ciclo de visitas, com uma parada no Terreiro de Umbanda, onde aconteceu uma verdadeira aula sobre as religiões de matriz africana, respeito e tolerância religiosa. O Programa Nacional de Habitação Rural (PNHR), que contemplou mais de vinte famílias quilombolas, pôde ser conhecido pelos presentes, por meio de visita em uma das casas em construção.

Com o objetivo de conhecer experiências que visam o fortalecimento  da autonomia financeira, a auto-estima feminina e potencializar o acesso das mulheres às políticas públicas de empoderamento, preservação dos direitos e garantia nos espaços de poderes locais. Foi visitada a cozinha comunitária, onde um grupo de jovens processa produtos de panificação e de subprodutos da mandioca.

Nesta mesma perspectiva de geração de renda, os quilombolas de Volta Grande tiveram uma aula de como aproveitar a fibra da banana e a palha de milho para a confecção de peças artesanais, como porta-guardanapo, brinquedos, flores, porta–jóias, dentre outras artes. As quais são produzidas pela família da ativista negra Valdicléia Silva, a qual orientou todas as visitas.

O almoço coletivo encerrou a parte da manhã e motivou a energia da tarde que deu início com um momento de avaliação do intercâmbio. Para a agricultora  Maria Lúcia Sodré, este foi um momento de grande aprendizado e espera poder acolher a comunidade dos Batatas em Volta Grande. “Este é um dia que vai ficar marcado na nossa história”, enfatizou Maria Lúcia. Os agradecimentos e o encerramento foram  selados com um momento celebrativo ecumênico, com a presença de membros da Igreja Batista, da Igreja Católica e do Terreiro de Umbanda Iansã.

As três lideranças  religiosas, cultuaram sua fé em forma de agradecimento envolvendo todos os presentes . As apresentações culturais, marcadas pelo canto, a dança, a religiosidade e o samba de mulheres, homens e crianças do terreiro de Umbanda embalaram o momento de confraternização, que deu continuidade com o desfile das jovens e  crianças  quilombolas de Volta Grande e a dança afro dos Batatas.

O momento cultural foi o ápice do encontro, onde a dança, o desfile, o batuque, o samba cativou o envolvimento e a mistura de negras e negros das duas comunidades, em um só ritmo, onde platéia e palco deixaram de existir, dando lugar ao intercâmbio e a confraternização de uma só raça e de um só povo, valorizando as  suas diferenças. O evento reuniu em torno de 60 pessoas entre visitantes e moradores.

O intercâmbio faz parte de um projeto da Associação dos Remanescentes de Quilombolas de Volta Grande de Barro Alto  (AUNIAFRO), apoiado pelo Centro Ecumênico de Serviço (CESE), com vistas a atender o edital, que tem como objetivo ampliar a relevância, o reconhecimento e o impacto da atuação das organizações da sociedade civil no Brasil, projeto este requerido junto à União Européia pela  Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais (ABONG).

O projeto da AUNIAFRO  foi um dos três projetos aprovados no estado da Bahia, dentro deste edital e tem como foco o trabalho de fortalecimento de um grupo de mulheres quilombolas beneficiadoras da cozinha comunitária e a gestão do movimento associativista quilombola no Território de Irecê.

Neste sentido está previsto para acontecer ainda este mês, um seminário que reunirá mais de 20 associações quilombolas e comunitárias para discutir o Novo Marco Regulatório das Organizações (MROSC) e a organização em torno das lutas e ações realizadas em quilombos dos territórios de Irecê e Chapada Diamantina.

Com Edição de Juliano Carmo/IrecePress

Contas Públicas: Prefeituras de Boninal, Itiruçu e Lajedo do Tabocal tem contas de 2016 rejeitadas

Foto: Divulgação/TCM-BA

Por Ascom/TCM-BA

O Tribunal de Contas dos Municípios, nesta quinta-feira (26/10), rejeitou as contas das prefeituras de Boninal, Itiruçu e Lajedo do Tabocal, da responsabilidade de Vitor Oliveira Paiva, Wagner Pereira Novaes e Adalício Almeida da Silva, respectivamente, relativas ao exercício de 2016. Além das multas e ressarcimentos imputados pelas irregularidades contidas no relatório, todos os gestores terão representação encaminhada ao Ministério Público Estadual pelo descumprimento da Lei de Responsabilidade Fiscal, quando será apurada a ocorrência de crime contra a administração pública.

No município de Boninal, as contas apresentaram uma indisponibilidade financeira no montante de R$16.273.827,23 para pagamento das despesas inscritas em restos a pagar e de exercícios anteriores, descumprindo o disposto no artigo 42 da LRF e provocando um enorme desequilíbrio nas contas públicas. O relator do parecer, conselheiro José Alfredo Rocha Dias, receitou três multas ao ex-prefeito Vitor Oliveira Paiva. A primeira no valor de R$4 mil pelas falhas remanescentes no relatório, a segunda, de R$21.645,73, por não ter reduzido a despesa total com pessoal, e a terceira, de R$10.882,87, pela não publicação de relatórios de gestão fiscal.

Já o ex-prefeito de Itiruçu, Wagner Pereira Novaes, em seu último ano de gestão, deixou um débito no montante de R$1.105.570,19, já que o saldo em conta não foi suficiente para quitar as despesas realizadas em 2016. O conselheiro relator José Alfredo Rocha Dias multou o gestor em R$4 mil e determinou o ressarcimento aos cofres municipais de R$249.722,65, com recursos pessoais, sendo R$100.627,57 referentes à ausência de comprovação de pagamento de folhas de servidores; R$90.641,04 pela ausência de notas fiscais; R$26.685,54 diante da não comprovação de pagamento a terceiro; e R$31.768,50 pela não identificação dos beneficiários de pagamento.

Em Lajedo do Tabocal, além do descumprimento do artigo 42 da LRF, que promoveu um prejuízo no montante de R$1.239.227,37 aos cofres municipais, o ex-prefeito Adalício Almeida da Silva também não investiu na educação o percentual mínimo de 25% exigido pela Constituição Federal. O gestor aplicou na manutenção e desenvolvimento do ensino municipal o montante de R$6.134.564,13, que corresponde a 23,34% dos recursos específicos. O relator do parecer, conselheiro Mário Negromonte, multou o gestor em R$15 mil pelas irregularidades contidas no parecer e determinou o ressarcimento aos cofres municipais de R$16.070,80, com recursos pessoais, pela ausência de comprovação de despesa. Cabe recurso das decisões.

Com Edição de Juliano Carmo/IrecêPress

Governador Rui Costa (PT) inaugura CICOM de Irecê nesta segunda-feira (25) e discute em reunião regional “Pacto Pela Vida”

O Governo do Estado, em parceria com a Prefeitura, inaugura nesta segunda-feira (25), o Centro Integrado de Comunicações (Cicom), que unificará as chamadas de emergência dos municípios da região por meio de uma central, integrando o atendimento dos serviços de emergência 190 (Polícia Militar) e 197 (Polícia Civil) e, posteriormente, 193 (Bombeiros).

A solenidade acontece às 13hs, na sede do Cicom, no 7º Batalhão da Polícia Militar, e contará com a presença do governador Rui Costa (PT), da Presidente do TJBA, Maria do Socorro, do Presidente da Assembleia Legislativa do Estado da Bahia, Deputado Angelo Coronel (PSD), além de prefeitos da região.

De acordo com o Prefeito de Irecê, Elmo Vaz (PSB), o Cicom recebeu investimento de R$ 1,5 milhão, e vai possibilitar a união de todas as forças de segurança e equipamentos públicos, para, em eventuais crises, agirem em conjunto. “Essa é uma ação fundamental de segurança pública, e que vai beneficiar todos os municípios da região”.

O coordenador do Cicom, capitão Josemar Guimarães, explica que o Centro também vai ajudar no monitoramento do trânsito da cidade, em conjunto com a Coordenadoria de Trânsito e Transportes (CMTT), e auxiliar o SAMU em suas ocorrências diárias, combatendo os trotes que prejudicam os serviços. “As chamadas feitas para os serviços instalados no Cicom passarão a ser recepcionadas pelos atendentes do Centro Integrado, e a partir disso as viaturas poderão ser acionadas por rádios em diversos pontos da cidade”, afirmou.

Outra ação importante para o município é a ampliação e modernização da Central de Videomonitoramento, feita pela Prefeitura de Irecê, que vai auxiliar na segurança pública da cidade, a qual ficará sob a gestão da Polícia Militar. “Esse aparelho integra diversas câmeras, espalhadas em vários pontos da cidade, e vai contribuir diretamente no combate de práticas ilícitas como vandalismo, assaltos, acidentes de trânsito, dentre outras ocorrências”, explica Elmo Vaz. “O Cicom e o Videomonitoramento passam a ter um papel fundamental no dia a dia das polícias para o combate à violência e redução da criminalidade, graças à ajuda de tecnologia de ponta, e em breve vamos integrar esse sistema com os demais municípios da região”, pontuou.

Índices de violência serão discutidos no Pacto Pela Vida

A cidade de Irecê sediará, ainda nesta segunda-feira (25), a reunião regional do Pacto Pela Vida, programa do Governo do Estado que prevê ações integradas para a redução dos índices de violência, além de iniciativas de prevenção social para a população vulnerável. O encontro, liderado pelo governador Rui Costa, será realizado às 9h, no Fiesta Baiana Club Hotel, na BA-052, KM-354 (em frente à Buriti Veículos, após o Contorno). A reunião será fechada à imprensa e o governador concede entrevista ao final do encontro.

A agenda do Governador faz parte do projeto político empreendido por Rui Costa que é candidato natural a reeleição na Bahia. Por conta de sua movimentação por todo estado e até no exterior, Rui ganhou de aliados e militantes petistas o apelido de Correria. Com informações da Ascom/Prefeitura de Irecê e Secom/Governo da Bahia.

Da Redação

Juazeiro-BA: Acompanhe a cotação dos produtos comercializados no Mercado do Produtor

Acompanhe o preço base dos produtos do Mercado do Produtor de Juazeiro, a exemplo da acerola que está sendo vendida a R$ 50,00 a caixa com 20kg.

A cotação completa está disponível aqui.

Os preços são resultado de uma pesquisa diária no comércio atacadista do entreposto municipal que é o maior do Norte e Nordeste do país.

Ascom/AMA